oq vc acha do novo "look" do pyerkey

domingo, 31 de julho de 2011

Cara de lua

Você sabe oque é cara de lua???...???....?


da uma olhada nesse cara >>>>>>




Cara de lua para umas pessoas é aquela cara grande redonda e branca, mas na verdade a cara de lua não passa de evoluções inter-raciais e culturais que foram dar a uma expressão feliz, espantada, orgulhosa e emocionante...Tipo oque o coringa do Batman sentia...




É  a mistura de:




*Olhos esbugalhados;
*Estremidades das narinas abertas (dentro e fora);
*Labio superior arqueado pra cima;
*Labio inferior aberto e firme;
*Olhos supercentrados em algo;
*Nervos do pescoço forçados.


da nisso:
























Eu vou falar um pouco mais sobre caras aqui...tem a cara de paisagem, fogo gelo, aguia, avião até de TV!!.......


Agora vou testar uma expressão aqui pra ver se pega....






BRAZIL! MARROCO! LONDON TO IBIZA!!
Não quero saber! só sei kenoisnafita!!

sábado, 30 de julho de 2011

Uma historia sobre lixo..(não é considerado engraçado porque hoje não é quinta)


Encontram-se na área de serviço. Cada um com o seu pacote de lixo. É a primeira vez que se falam.
— Bom dia.
— Bom dia.
— A senhora é do 610.
— E o senhor do 612.
— Eu ainda não lhe conhecia pessoalmente...
— Pois é ... — Desculpe a minha indiscrição, mas tenho visto o seu lixo ...
— O meu quê?
— O seu lixo.
— Ah...
— Reparei que nunca é muito. Sua família deve ser pequena.
— Na verdade sou só eu.
— Humm. Notei também que o senhor usa muito comida em lata.
— É que eu tenho que fazer minha própria comida. E como não sei cozinhar.
— Entendo.
— A senhora também.
— Me chama de você.
— Você também perdoe a minha indiscrição, mas tenho visto alguns restos de comida em seu lixo. Champignons, coisas assim.
— É que eu gosto muito de cozinhar. Fazer pratos diferentes. Mas como moro sozinha, às vezes sobra.
— A senhora... Você não tem família?
— Tenho, mas não aqui.
— No Espírito Santo.
— Como é que você sabe?
— Vejo uns envelopes no seu lixo. Do Espírito Santo.
— É. Mamãe escreve todas as semanas.
— Ela é professora?
— Isso é incrível! Como você adivinhou?
— Pela letra no envelope. Achei que era letra de professora.
— O senhor não recebe muitas cartas. A julgar pelo seu lixo.
— Pois é ...
— No outro dia, tinha um envelope de telegrama amassado.
— É.
— Más notícias?
— Meu pai. Morreu.
— Sinto muito.
— Ele já estava bem velhinho. Lá no Sul. Há tempos não nos víamos.
— Foi por isso que você recomeçou a fumar?
— Como é que você sabe?
— De um dia para o outro começaram a aparecer carteiras de cigarro amassadas no seu lixo.
— É verdade. Mas consegui parar outra vez.
— Eu, graças a Deus, nunca fumei.
— Eu sei, mas tenho visto uns vidrinhos de comprimidos no seu lixo...
— Tranquilizantes. Foi uma fase. Já passou.
— Você brigou com o namorado, certo?
— Isso você também descobriu no lixo?
— Primeiro o buquê de flores, com o cartãozinho, jogado fora. Depois, muito lenço de papel.
— É, chorei bastante, mas já passou.
— Mas hoje ainda tem uns lencinhos.
— É que estou com um pouco de coriza.
— Ah.
— Vejo muita revista de palavras cruzadas no seu lixo.
— É. Sim. Bem. Eu fico muito em casa. Não saio muito. Sabe como é.
— Namorada?
— Não.
— Mas há uns dias tinha uma fotografia de mulher no seu lixo. Até bonitinha.
— Eu estava limpando umas gavetas. Coisa antiga.
— Você não rasgou a fotografia. Isso significa que, no fundo, você quer que ela volte.
— Você está analisando o meu lixo!
— Não posso negar que o seu lixo me interessou.
— Engraçado. Quando examinei o seu lixo, decidi que gostaria de conhecê-la . Acho que foi a poesia.
— Não! Você viu meus poemas?
— Vi e gostei muito.
— Mas são muito ruins!
— Se você achasse eles ruins mesmos, teria rasgado. Eles só estavam dobrados.
— Se eu soubesse que você ia ler ...
— Só não fiquei com ele porque, afinal, estaria roubando. Se bem que, não sei: o lixo da pessoa ainda é propriedade dela?
— Acho que não. Lixo é domínio público.
— Você tem razão. Através dos lixo, o particular se torna público. O que sobra da nossa vida privada se integra com a sobra dos outros. O lixo é comunitário. É a nossa parte mais social. Será isso?
— Bom, aí você já está indo fundo demais no lixo. Acho que...
— Ontem, no seu lixo.
— O quê?
— Me enganei, ou eram cascas de camarão?
— Acertou. Comprei uns camarões graúdos e descasquei.
— Eu adoro camarão.
— Descasquei, mas ainda não comi. Quem sabe a gente pode... Jantar juntos?
— É. Não quero dar trabalho.
— Trabalho nenhum.
— Vai sujar a sua cozinha.
— Nada. Num instante se limpa tudo e põe os restos fora.
— No seu lixo ou no meu?
 Luis Fernando Verissimo 

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Eu querooo: Roubar um carro

Um homem ainda não identificado pela polícia foi assaltado enquanto roubava o carro de um casal, na noite deste domingo (17), na zona norte de Porto Alegre. Um publicitário de 20 anos, acompanhado de sua namorada, estacionava sua Ecosport prata na rua Benno Mentz, no bairro Itu Sabará, quando um homem armado com um revólver 38 rendeu o casal.




Durante a abordagem, um Prisma escuro se aproximou e três homens armados abordaram as vítimas e, junto com elas, o primeiro ladrão. A Ecosport do casal e o revólver do assaltante foram levados. Assustado, este último fugiu a pé. O publicitário, levado pelo trio de assaltantes, foi liberado a poucos quilômetros do local.



Segundo Jorge Rubin, chefe de investigação da 14ª Delegacia de Porto Alegre, que investiga o caso, as vítimas estão sendo ouvidas. “Já temos o depoimento do proprietário do Prisma utilizado pelo trio, que era roubado, e que foi abandonado no local. À tarde, pegaremos o depoimento do dono da Ecosport. Em principio, ninguém foi ferido.”



O publicitário, vítima do assalto, não foi localizado pela reportagem. A pedido de sua família, seu nome não foi divulgado.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Eu querooo: um Ipad 2

Você já ouviu falar naquela expressão "eu vendia um rim para" coisocoisa...
pois um rapaz chinês de 17 anos, Little Zheng, levou isso ao pé da letra quando vendeu um dos rins para comprar um ipad 2...motivo: Eu queria um ipad 2 e não tinha dinheiro...-_-


A noticia coiso bem, depois que a mãe notou que algo estranho acontecia(pontinhopontinho)


O jovem procurou na internet e encontrou um agente disposto a comprar o seu rim no mercado negro(internet) e viajou para a província de Hunan, no centro da China, para realizar uma cirurgia no hospital local.
mas quem é que não ia querer comprar isso aí:
Alem disso ele comprou um iphone e um ai sei la oque ai...





O mercado de doação de órgãos é comum na China, apesar das repetidas tentativas do governo em acabar com a prática. Segundo estatísticas oficiais, mais de um milhão de pessoas no país precisam de um transplante a cada ano, porém menos de 10 mil recebem os órgãos. O motivo é justamente o mercado negro de doações, que enriquecem corretores, médicos e funcionários corruptos do governo.


Atenção você insano vendo isso ai...ele se arrependeu de fazer isso...não faça isso de jeito nenhum, vender um rim para comprar um ipad2????ele conseguiu o equivalente a quase 6 mil reais...já existe ipad5,iphone4,ai sei la oque3 e mais trocentas coisas MUITO MELHORES da Apple ou de qualquer coiso aí!!!compra um desses véi...


TSC...TSC...IPAD 2 ?!?!?! MEEEEEEMO COISO
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget